Sol da Meia-Noite Capítulo 1

março 8, 2010

Após um tumultuado ano, todos pareciam estar mais aliviados com a nova situação, inicio de Fevereiro de 2007 as aulas iriam recomeçar em apenas uma semana – pouco tempo para adolescentes entusiasmados com as férias – alguns ainda estavam voltando de suas viagens, outros não tiveram tempo para grandes viagens ou comemorações. Esse era o caso de Gustavo, Alan, e Pedro que apesar de mais aliviado, estava ainda se recuperando da morte de seus pais, e agora viviam situações diferentes, e deveriam dar apoio as suas mães.
Apesar de tudo algo alegrava os gêmeos, não precisavam mais voltar pra Inglaterra, poderiam ficar no Brasil, viver e estudar aqui. Sua mãe já havia matriculado na escola que Marta mãe de Pedro havia recomendado. A mesma escola que Pedro freqüenta, alias desde que Gabriela optou por não ficar com nenhum os dois não se batiam muito bem, mas conseguiam se suportar quando necessário.
Gabriela e Verônica – amigas inseparáveis – estavam animadas com o novo ano escolar, Verônica estava super feliz com seu namorado Miguel, já Gabriela estava frustrada com as tantas tentativas de seus dois pretendentes para conquistá-la.
Na verdade o ano escolar dessa galera promete, pois estará tudo unido, desavenças, amores, amizades, invejas, desejos, uma grande mistura de sensações alucinantes e intensas.

Na casa dos gêmeos Gustavo e Alan.

Angélica: garotos venham aqui no escritório um minuto, preciso falar com vocês.
Alan: o que a senhora quer com a gente?
Gustavo: algum problema?
Angélica: não Gustavo, apenas preciso avisar pra vocês que eu e a Marta vamos ter que viajar amanhã cedo para resolver um problema em uma filial de São Paulo, devemos ficar por lá uns dois dias, e como seus avôs estão viajando vocês devem ficar na casa da Marta até voltarmos.
Alan: com o Pedro, isso não vai dar certo.
Gustavo: por que isso? Não tem problemas se ficarmos em casa sozinhos.
Angélica: eu sei que vocês vão se comportar bem, mas não me preocupo com o que vocês possam fazer, e sim o que outras pessoas podem fazer com vocês.
Gustavo: e qual a diferença, sozinhos aqui, e sozinhos com o Pedro lá.
Angélica: lá vocês não estarão sozinhos, a avó do Pedro mora com eles, elas cuidaram de vocês, e a casa deles é mais segura.
Alan: acho isso muito desnecessário.
Angélica: eu sei que pode parecer bobeira, mas tenho muito medo de perder vocês.
Gustavo: tudo bem, se vocês vai se sentir melhor assim, acho que posso agüentar por uns dois dias, no máximo.
Angélica: muito obrigado meu filho, isso é muito importante pra mim.

No dia seguinte já na casa de Pedro.

Pedro: eu sei que você não esta a vontade aqui Gustavo, nem eu, mas acho que podemos tentar levar isso numa boa.
Gustavo: eu tenho certeza que você fará o possível, e eu farei o mesmo, já que isso é importante pras nossas mães.
Alan: caras, isso não é o fim do mundo, acho que nós três podemos nos dar muito bem, é só tentar esquecer que existe garotas no mundo.
Pedro: eu acho que isso é meio difícil.
Gustavo: Alan não se faça de tonto, você só pensa em garotas, e nós manda esquecer.
Alan: então vamos fingir esquecer, OK?

Uma semana depois…

Continua…